17 maio, 2016

O Batismo de Jair Bolsonaro: Conversão ou Estratégia Política?

batismo bolsonaro
Por Allan Felipe Freitas

Recentemente um vídeo em que mostra a cerimônia de batismo do atual deputado federal Jair Bolsonaro (PCS-RJ) no rio Jordão viralizou. Diversos sites noticiaram o fato. Nas redes sociais a repercussão não foi diferente, milhares de pessoas compartilharam a notícia. Algumas comemorando a sua conversão, outras criticando severamente tal ato.

Uma comitiva de políticos do Partido Social Cristão (PSC) foi até Israel para realizar uma “visita técnica” à Terra Santa, visando estreitar laços e propor acordos entre os países. Os membros do partido foram convidados para participar da cerimônia de celebração dos 68 anos de Independência de Israel. Veja a notícia completa aqui.

Jair Bolsonaro foi batizado no conhecido rio Jordão pelo pastor Everaldo, presidente do PSC e candidato a presidência pela legenda na última eleição. Pastor Everaldo, derrotado logo no primeiro turno, fora muito criticado por não saber articular muito bem as ideias e por apresentar um discurso raso. No entanto, é um experiente político de bastidor, bastante elogiado por Marco Feliciano (PSC-SP).


Há rumores de que Feliciano teria interesse em ser candidato a presidente pelo partido, todavia, o nome de Bolsonaro tem sido fortemente difundido como possível candidato.

Dadas as informações, vamos analisar a cerimônia de batismo em questão com um pouco de senso crítico.

Bolsonaro é o maior representante da bancada BBB (Boi, bala e bíblia). Declarava-se católico, mas costumava freqüentar igrejas evangélicas em época de eleição. Passou a receber apoio de alguns pastores midiáticos e tem recebido apoio da ala evangélica mais conservadora. Estas são informações importantes que precisamos considerar.

batismo bolsonaro

Não tenho condições de julgar a conversão de ninguém. Por isso, não posso afirmar que Bolsonaro se converteu e nem que não se converteu. No entanto, Cristo nos ensinou que devemos conhecer a árvore pelo seu fruto. Batismo não é sinal de conversão, portanto, aqueles que comemoram a conversão de Bolsonaro devem aguardar mais um pouco para verificar se de fato ela procede.

O que indica a conversão são os frutos, o comportamento, o testemunho. A conversão representa uma mudança de rumo. Pode ser compreendida como um deslocamento de eixo. Ao se converter a pessoa deixa de viver para si e para os seus interesses e passa a viver para Deus e para o seu próximo.

O amor é a expressão máxima da conversão. O que prova a conversão de alguém é o amor, pois é ele quem patrocina esse deslocamento de eixo.

Veja:

“Porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu.”
(Romanos 5.5)

“porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus”
(Romanos 8.14)

“Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine.
Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, mas não tiver amor, nada serei.
Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me valerá.”
(1 Coríntios 13.1-3)

Um convertido é alguém que ama. Pois bem, até então, Bolsonaro tem destilado ódio e preconceito. Tem promovido discursos facciosos. Seus discursos são racistas, fascistas, homofóbicos e misóginos. Tem sido a favor da morte de militantes do MST. Além disso, alega ser a favor da Ditadura Militar, tendo inclusive prestado louvor ao Coronel Brilhante Ustra, torturador da presidente Dilma Rousseff.

Vejamos a partir de agora se Bolsonaro se converteu. Quero lhe convidar a averiguar com calma essa suposta conversão. Vamos reparar se o seu discurso vai mudar. Se Bolsonaro vai estar se parecendo mais com Cristo ou com Hitler. Devemos analisar se ele, a partir de então, vai se tornar um ser humano mais doce, tolerante, misericordioso, piedoso e compreensivo, alguém que demonstra o fruto do espírito na sua conduta.

Caso não haja uma real mudança, infelizmente o batismo de Bolsonaro não passou de uma boa estratégia política. E por que digo isso? Digo isso porque ele tem sido celebrado entre muitos evangélicos. O Brasil é um país cada vez mais evangélico, a bancada evangélica foi decisiva na votação do impeachment da presidente Dilma na Câmara dos Deputados. Infelizmente ainda tem muito evangélico que segue a risca a regra de que crente vota em crente.

Se Jair Bolsonaro já era bem quisto entre os evangélicos sendo católico, imagine agora se assumindo como crente batizado nas águas. Fica muito conveniente se tornar evangélico considerando esse contexto.


Prezados, é bom ficarmos de olho.


Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. O cristianismo é zelo a moral. ele já mostrava isso antes da conversão. Que ele continue com o mesmo discurso. Assim Espero.

    ResponderExcluir
  2. Lembrando que Dilma Roussef também torturava e matava e participava de sequestros e foi presa por conta dos seus atos ok!

    Cristianismo é zelo à moral

    Deus abençoe a todos.

    ResponderExcluir
  3. Ser cristão também pode ser associado a
    À pureza ética e moral. O testemunho de integridade é um elemento marcante num cristão.
    Precisamos de pessoas íntegras e puras de coração.

    Deus seja louvado em qualquer situação.

    ResponderExcluir

Invista em você

Invista em você
© Evangelho Sem Censura 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis