09 setembro, 2015

Equidade: O trato desigual de Deus para com os desiguais

Equidade, Balança, Justiça, Equilíbrio, Igualdade
Por Allan Felipe Freitas

Encontramos a palavra equidade em diversas passagens bíblicas, uma delas é essa:

“É rei poderoso que ama a justiça, tu firmas a equidade, executas o juízo e a justiça Jacó”
(Salmos 99.4)

Equidade é o oposto de iniquidade, em um dos sentidos do vocábulo, o significado diz respeito à imparcialidade, à igualdade, portanto iniquidade pode ser definida como a falta de igualdade. Todavia, em outro sentido, e, nesse caso, utiliza-se muito dentro do contexto das discussões sobre políticas púbicas, equidade significa tratar com desigualdade os desiguais, isto é, oferecer ao menos favorecido mais do que se oferece ao mais favorecido.

O princípio da equidade é utilizado para reparar erros históricos, como é o caso da dívida que portamos com os negros e os deficientes, por isso, a lei de cotas. Esses dois seguimentos foram esquecidos, segregados, colocados à margem da sociedade, portanto, cabe ao governo adotar medidas que possibilite o acesso dessas pessoas a diversos espaços, como a universidade pública. Não dá para querer colocar em pé de igualdade um rico que estudou em escolas privadas com um pobre que sofreu no ensino público, por conta disso, há também cotas para quem estudou no ensino público, visando reparar esse dano causado pelo próprio governo que deveria prestar uma educação semelhante a da rede privada.

Contudo, o objetivo deste texto não é discutir a questão das ações afirmativas e nem se sou a favor ou contra a lei de cotas. Ora, se Deus é um Deus de justiça e de equidade, o seu tratamento com os menos favorecidos, com as vítimas de preconceito e exclusão seria especial?

Deus não tem filhos prediletos, mas Ele tem prioridades. A Bíblia está repleta de exemplos nos quais Deus age com equidade, ou seja, de acordo com o segundo sentido explicitado acima. Separei alguns exemplos. Repare:

1-      Jesus trata a mulher Samaritana de maneira diferenciada

Na narrativa de João capítulo 4, vemos Jesus aproximando-se de uma mulher samaritana de moral duvidosa. Primeiro, os samaritanos carregavam um estigma muito grande, eram tidos como bastardos, não se davam com os judeus. Em certa feita, Jesus seguia para Jerusalém e quis repousar em Samaria, porém, não quiseram lhe hospedar, porque perceberem que ia para Jerusalém e, que por isso, era um judeu.

Jesus não guardou ressentimentos e ultrapassou qualquer barreira erguida pelo preconceito e conversando com aquela mulher face a face. Um homem e uma mulher conversando a sós. Os discípulos estranharam. A mulher estava no quinto marido e ele nem era seu marido. Jesus se revelou a ela que Ele era o Messias, o que não o fez anteriormente quando fora interrogado por Nicodemos, doutor da lei. Subversivo, não? Um belo exemplo de equidade.

2-      Jesus acolhe as crianças

Em Mateus capítulo 19, dos versos 13 ao 15, vemos Jesus valorizando as crianças. Elas estavam atrás do mestre, no entanto, os discípulos queriam dispersá-las para que não incomodassem. Mas Jesus lhes disse:

“Deixai vir a mim as crianças, não as impeçais, pois o Reino dos céus pertence.”
(Mateus 19.13-15)

3-      O tratamento com os pobres

a)      No A.T

“Também o sacerdote fará a expiação do pecado, e fará expiação por aquele que tem de purificar-se da sua imundícia; e depois degolará o holocausto;
E o sacerdote oferecerá o holocausto e a oferta de alimentos sobre o altar; assim o sacerdote fará expiação por ele, e será limpo.
Porém se for pobre, e em sua mão não houver recursos para tanto, tomará um cordeiro para expiação da culpa em oferta de movimento, para fazer expiação por ele, e a dízima de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de alimentos, e um logue de azeite,
E duas rolas, ou dois pombinhos, conforme as suas posses, dos quais um será para expiação do pecado, e o outro para holocausto.”
(Levítico 14:19-22)

b)     No N.T

“Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência.”
(Gálatas 2:10)

4-      Os profetas são usados para apontar as prioridades de Deus

No Antigo Testamento percebe-se claramente a preocupação do Senhor com os mais frágeis. Tanto na lei como nos profetas vemos que o Altíssimo se encarregou de deixar recomendações para o trato com órfãos, viúvas e estrangeiros. Leia (Dt. 10.18; Dt. 14.29; Lv. 19.10; Am. 5.11-14; Is. 1.17)

Muito me espantou a publicação de alguns textos recentes tratando a questão dos refugiados sírios. Cristãos, missionários, pastores e blogueiros, fazendo questão de destacar que não tem nada a ver com essa situação e que o Brasil não deve se solidarizar com a causa dos imigrantes. Para eles, abrir nossas fronteiras para recebê-los seria como permitir que terroristas se instalem no nosso território. Uma pessoa chegou a afirmar através das redes sociais que Jesus não morreu pelos muçulmanos.

Então, o que fazer com os versículos abaixo?

“O estrangeiro não afligirás, nem o oprimirás, pois estrangeiros fostes na terra do Egito (...) Se de alguma maneira os afligirdes, e eles clamarem a mim, eu certamente ouvirei o seu clamor. A minha ira se acenderá.”
(Êxodo 22:21,23-24)

"Como o natural entre vós será o estrangeiro que peregrina convosco. Amá-lo-eis como a vós mesmos, pois fostes estrangeiros na terra do Egito. Eu sou o Senhor vosso Deus.”
(Levítico 19:3)

“Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.”
(Hebreus 13.2)

Infelizmente nos dias de hoje vive-se um pseudo-evangelho tão umbigocêntrico e capitalista que versículos como esses nem são percebidos.

5-      O novo testamento endossa os cuidados expressos no Antigo Testamento

O Novo Testamento através de Jesus e dos apóstolos continua a bater na mesma tecla.
Observe atentamente o versículo abaixo:

“A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.”
(Tiago 1.27)

Em suma, se Deus tem prioridades, logo, as suas prioridades devem tornar-se nossas prioridades. Ele age baseado no princípio da equidade, sendo assim, nós também devemos agir da mesma forma. Devemos honrar aquele que não é honrado, devemos zelar por aquele que é esquecido. Devemos cuidar do descuidado, tratar de maneira especial o diferente e servir de voz para aquele que não tem voz.


Que a Igreja de Cristo seja o principal instrumento de equidade usado por Deus na face da terra!


Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Procurando algo sobre equidade no contexto bíblico encontro esse texto lindo. Grata a Deus por essa palavra.Obrigada! Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado!

    O facto de todos nos estarmos destinados a morte é equidade ou igualdade?

    ResponderExcluir

Invista em você

Invista em você
© Evangelho Sem Censura 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis