27 julho, 2015

Conversa franca sobre ansiedade

Por Allan Felipe Freitas

Esse artigo é dedicado a todas as pessoas que sofrem com a ansiedade. O que exponho aqui é um esboço pautado em duas importantes ferramentas, primeiramente a Palavra de Deus, e depois, a Psicologia. Não se trata de um texto meramente teórico, mas de reflexões feitas por quem diariamente tem que administrar uma carga excessiva de ansiedade, sendo assim, a teoria se mistura com a prática.

Assim como uma espada de dois gumes, o que corta aqui corta lá, o que escrevo serve tanto para mim como para você querido leitor. Portanto, atrevo colocar um pouco de mim nessa conversa.

A ansiedade é um sentimento, uma expressão humana. Estudos apontam que precisamos de um grau ótimo de ansiedade para realizar algumas tarefas e render o que condiz com a nossa capacidade. Neste sentido, um nível baixo de ansiedade é ruim, pois é a ansiedade que faz com que nos movamos. Certamente uma pessoa depressiva ou melancólica estará com uma taxa de ansiedade abaixo do ideal.

O contrário também é verdadeiro, um nível acentuado de ansiedade pode ser muito prejudicial à saúde física e mental. O corpo pode reagir de diversas formas: dores de cabeça, tremedeiras, palpitações, sudoreses, taquicardia, falta de ar, boca seca, insônia, irritação dentre outros sintomas são comuns aos quadros de ansiedade.

Os transtornos de ansiedade estão cada vez mais presentes no atual século: fobia social, fobias diversas, transtorno de ansiedade generalizada e síndrome do pânico são algumas das psicopatologias ligadas à ansiedade.

A inquietação e as preocupações se manifestam em pensamentos e comportamentos. Em nível de pensamento: O que será do meu amanhã? Será que vai dar certo? Mas e se isso acontecer? Em nível de comportamento: andar de um lado para o outro, estalar os dedos, tiques nervosos, comer compulsivamente, comprar compulsivamente.

A ansiedade tem uma relação com o medo, com a insegurança e a incerteza, muitas vezes está ligada ao pensamento referente ao futuro. Pessoas muito ligadas ao futuro, a projeções e planos costumam sofrer com o pensamento em torno dos possíveis contratempos, do que pode sair diferente do planejado, do que pode acontecer.

Realmente vivemos num mundo onde as coisas estão cada vez mais incertas, crise econômica, aumento de impostos, inflação, desemprego, um mercado de trabalho cada vez mais exigente e a instabilidade presente em cada espaço do setor privado. Não é fácil viver em um mundo globalizado, capitalista e tecnológico no qual as informações circulam numa velocidade tal que não conseguimos acompanhá-las.

Contudo, a Palavra de Deus é atemporal e nos traz preciosas instruções acerca da ansiedade. O apóstolo Paulo quando preso escreveu aos filipenses:

“Não andeis ansiosos de cousa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.”
(Filipenses 4.6-7)

O apóstolo recomenda aos irmãos da igreja de Filipos que eles não devem andar ansiosos. Creio que ele, assim com eu, conhecia de perto os males da ansiedade, porém passa àqueles irmãos uma preciosa dica “sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças”.

A oração é um diálogo com Deus. “Clama a mim e responder-te-ei...” (Jeremias 33.3). Não existe melhor remédio para a ansiedade do que conversar com o Criador. Quando expomos nossas angústias, temores, receios, medos, pavores e questões diante do Pai, estamos desabafando, colocando para fora todo o peso que acumulamos com nossas preocupações excessivas. Vale a pena expressar ao Senhor tudo aquilo que nos atormenta, pois Ele pode agir em nosso favor.

Outra dica importante contra a ansiedade são as ações de graças. A gratidão é um remédio contra a tristeza e contra as frustrações que nos acompanham devido àquilo que não temos. Sempre nos faltará algo, todavia, se formos gratos estaremos desenvolvendo a nossa capacidade de se contentar.

Também é importante contar com a figura de um amigo, um irmão com o qual possamos conversar. Freud, o pai da psicanálise, descobriu o método no qual se dá a cura pela fala, no entanto, o nosso irmão Tiago já havia explicitado esse poder curador das relações humanas em sua carta.

“Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.”
 (Tiago 5.16)

Não podemos desconsiderar o poder da oração e nem o poder da comunhão. No entanto, vale ressaltar que em muitos casos é preciso da ajuda de uma profissional, um psicólogo, um psiquiatra. O homem é um ser integral composto de espírito, alma e corpo. Deus é ilimitado e pode agir nessas três esferas, porém Ele é soberano, por isso, se necessário for, não exite em procurar ajuda psicológica.

De volta ao texto de Filipenses, o versículo 7 me chama muita atenção: “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.” A paz de Deus é capaz de guardar tanto os nossos pensamentos como os nossos sentimentos. Ela pode tranquilizar, acalmar, consolar, estabilizar qualquer crise de ansiedade, pois excede todo entendimento, ou seja, está para além da razão.

O apóstolo Pedro também deixou uma preciosa contribuição para lidar com a ansiedade.

“Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.”
(1 Pedro 5.17)

Gosto muito desse versículo, e ao analisá-lo com cuidado alguns detalhes me são caros. Primeiro, a palavra ‘lançando’ está no gerúndio, isto é, faz menção a uma ação em andamento, creio que esse lançar é um lançar constante, um exercício diário. Segundo, sempre que eu medito nessa passagem eu a comparo a um atleta de arremesso de peso. Nesse esporte, vence aquele que consegue arremessar o peso o mais longe possível, para isso, os atletas empenham um enorme esforço. Assim deve ser na nossa vida, toda a ansiedade deve ser lançada o mais longe possível, lançada sobre Aquele que já levou todo o nosso fardo na cruz, porque Ele cuida de nós.

Estar ansioso é em poucas palavras demonstrar para Deus que não confiamos no cuidado D’ele. Por isso, precisamos urgentemente aprender a descansar na sombra do Altíssimo, confiar em sua palavra que diz que o Senhor é o nosso pastor (Salmos 23.1), que até os nossos fios de cabelo estão contados por Ele (Lucas 12.7).

Jesus nos ensinou:

“Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.”
(Mateus 6.34)

Creio que com essas palavras o mestre queria nos ensinar a viver o aqui-e-agora. A lição que eu tiro de tudo isso é que devemos nos concentrar no hoje, viver cada momento intensamente e por completo. O dia de amanhã está nas mãos de Deus. Ele é atemporal, o mesmo hoje, ontem e amanhã. Portanto, Deus já está lá no seu futuro, no seu amanhã. Antes de você chegar lá Ele já preparou tudo. Assim como uma criança não fica preocupada se o pai a buscará ao termino de sua aula, saber que Deus já chegou no nosso destino nos dá uma segurança e conforto sem igual.

Comece a exercer esses princípios:
  •   Ore a Deus, coloque diante D’ele tudo que está no seu coração;
  •  Procure um amigo em que confie para desabafar, conversar, compartilhar sua expectativa;
  •   Procure a ajuda de um profissional;
  •  Exercite a gratidão. Ao término de cada dia liste pelo menos dois motivos pelos quais você é grato;
  •  Faça exercícios respiratórios;
  •  Estabeleça uma relação com a natureza, tenha uma atitude de contemplação diante da criação;
  •  Pratique exercícios físicos;
  •  Procure viver o presente de uma maneira completa.

O desejo mais profundo do meu coração é que dia após dias você aprenda a lidar com sua ansiedade, lançando-a sobre Ele e desfrutando do melhor que nos foi preparado.


Se precisar de ajuda, conte comigo!




Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Invista em você

Invista em você
© Evangelho Sem Censura 2012 | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis